Tofacitinib para o tratamento da psoríase e artrite psoriática

Por  |  o Comentários

O Tofacitinib aprovado para tratamento de pacientes com artrite reumatóide também é eficaz para tratamento de pacientes com psoríase e artrite psoriática condição clínica inflamatória que acomete a pele e articulações afetando a qualidade de vida e provocando deficiência física.Por ser de uso oral espera-se que seu uso seja cada vez maior na artrite psoriática possivelmente substituindo a terapêutica com biológicos de uso endovenoso ou subcutâneo.Novos mecanismos de ação ligadas ao aparecimento da doença faz com que cada vez mais novos medicamentos estejam surgindo o caso do Taltz(Ixekizumab) o Tremfya(Gusekulmab) e o Olumiant(Baricitinib).

Unhas com queratose camada amarelada na extremidade das unhas e depressões na superfície uma forma de comprometimento na forma conhecida como psoríase ungueal.

A psoríase e a artrite psoriática (PsA) são condições inflamatórias mediadas pela imunidade que podem causar incapacidade considerável e redução da qualidade de vida. O manejo pode ser complexo, pois a heterogeneidade clínica pode levar a diferentes vias de tratamento. O tofacitinibe é um novo inibidor oral de quinase de Janus (JAK) com eficácia comprovada na artrite reumatóide. Áreas cobertas: Esta revisão analisa estudos recentes sobre o tofacitinibe no tratamento da doença psoriásica. A literatura relevante foi identificada usando clinicaltrials.gov, PubMed e Google Scholar. A eficácia do tofacitinib foi demonstrada em PsA pelos estudos OPAL Broaden e OPAL Beyond phase III, e recebeu aprovação da FDA e da EMA. O tofacitinib foi superior ao placebo no tratamento da psoríase em placas moderada a grave nos estudos OPTI Pivotal 1 e 2, OPT Retreatment, mas a aprovação do FDA foi recusada para esta indicação com base em questões de eficácia clínica e segurança a longo prazo. Comentário de especialista: O tofacitinibe é um importante medicamento oral para o tratamento da APs. No entanto, os dados de segurança a longo prazo requerem uma avaliação mais aprofundada. O tofacitinibe e outros inibidores da JAK mostram potencial para ampliar as opções de tratamento na AP e outras condições inflamatórias.